Com a palavra, o Presidente!

[Lula com 2 de seus 4 filhos: Juná e Teo / arquivo FNT ]

Na partitura dos anos flui uma doce e inspirada melodia na história musical da AGUA e porque não dizer de Guaramiranga. Na evolução desses temas musicais e históricos, fizeram-se acordes precisos e harmônicos em momentos específicos. Vejamos por anos:

1991 – primeira edição do Arte em Flor, sendo este um musical de princípios acústicos que reuniu diversos grupos e artistas, plantando com vigor sementes musicais que cresceram regadas à vocação natural dos meninos e meninas de Guará;

1991 – O Caixinha de Vozes se forma. As crianças da serra cantando! Ah como sentimos, choramos e nos encantamos com aquelas vozinhas.

1992 – Criação da AGUA, que desde então corre serena e constante, regando tons, produzindo sinfonias;

1997 – Inauguramos a Escola de Música de Guaramiranga. Nova sede da AGUA. Plantamos uma muda de Pau Brasil, montamos um palco, convidamos todos, iluminamos o espaço e… tocamos! Estava feito o marco, no rebuliço de nossa felicidade tínhamos agora uma escola de música. O Pau Brasil hoje é uma árvore que ainda cresce.

2002 – Aprovados em concurso nacional, chamamos pra perto o Instituto Ayrton Senna, agregando novas pedagogias e competências às nossas toadas. Nasce o Cidade da Arte!

2011O maquinário geral se renova numa nova onda de crescimento, chega a Petrobras!

Pontos marcantes, de um percurso recheadíssimo de histórias, sons e alegrias. Marcos mais representativos, escolhidos para caberem aqui no texto, mas na história toda , todo dia foi um marco cheio de vida e nuances, que neste novo ano se reinventa. A árvore novamente florou e novas sementeiras vão se formar. Nascerão outras – eis as novas gerações que continuarão o fluxo dessa partitura.

Para a continuidade dessas sementes, que nunca falte esse fluido da vida: a AGUA.

Luciano Bezerra.
[Presidente da AGUA]