Perceber-se integrado é perceber-se mais forte.

Foto: Glauber Nocrato | Arquivo pessoal

A caminhada junto com a AGUA é longa, firme, persistente e continua. Desde a sua fundação estamos juntos, uma turma boa, um verdadeiro time pela causa da educação e da arte.

O Luciano (Lula) nosso presidente da AGUA  e não do Brasil contou de forma poética  a história da instituição e eu me ponho nesse trem desde o princípio ajudando a fazer e a contar. O projeto Cidade da Arte dentro deste processo é um lugar onde me encontrei como Educador. Junto com os colegas da instituição procuramos aprender a arte de educar pelo caminho da arte. Estabelecemos a cada ano novas parcerias e conhecemos  pessoas que como nós acreditam nesta causa. Com estas parcerias aprendemos a pensar e agir em rede, de forma coletiva. Trabalhamos e sonhamos para a construção de uma cidade, um Brasil e um mundo melhores, e mais humanos.

 Hoje trabalho no Projeto Cidade da Arte na formação e direção de grupos Musicais.  A arte necessita essencialmente do coletivo, do trabalho em grupo e é essa uma das grandes forças educativas e revolucionárias. Perceber-se integrado é perceber-se mais forte, o coletivo nos permite somar e realizar as coisas no mundo. Sinergias são estimuladas e através da arte projetos poéticos são apresentados ao público, fazem parte do ambiente da cidade.  Encontrar-se, dialogar, planejar, ensaiar e apresentar são passos que baseiam relacionamentos e trazem consigo a possibilidade de muitos aprendizados e de parcerias para toda vida.

 Quero falar também do poder transformador da arte. O poder de desenvolver potenciais. O processo de aprender música de forma individual e coletiva tem a possibilidade de despertar e por em movimento forças vitais na formação da nossa humanidade. Com a arte desenvolvemos um modo criativo e sensível de ser, temperos importantíssimos para sermos pessoas mais felizes e equilibradas. Na nossa formação precisamos de oportunidades para desenvolver a nossa riqueza potencial. A beleza, a harmonia, a precisão são valores que nos permitem construir a cada dia uma forma especial de estar e perceber o mundo. Vejo a arte neste sentido da construção do ser, da possibilidade de colaborar com o nosso crescimento integral.Dentro de nós somos criadores, somos artistas no sentido de que agimos, pensamos e sentimos de forma criativa e estética.

Enfim, o que me dá mais felicidade neste trabalho é ver as crianças e jovens descobrindo em si estes potenciais e devagarzinho crescendo. Ao longo destes anos estou acompanhando a caminhada de muitos e fico feliz com o que o contato com a arte tem proporcionado a eles e a mim mesmo.

Por Glauber Nocrato
[Sócio fundador da AGUA e professor do Cidade da Arte]